sábado, 21 de novembro de 2015

ALIEN

TRADUÇÃO

Alien

Alan Dean Foster                   

A tripulação da nave Nostromo é despertada antes do tempo de seu sono criogênico. Misteriosos sinais vindos dos confins do espaço são recebidos pelo computador de bordo, e a equipe é acionada para investigar um planeta desconhecido. Um tripulante é atacado por uma forma de vida estranha, e esse pode ser o início de uma história pior que os mais terríveis pesadelos da humanidade.
          
ISBN: 9788576572664
Edição: 1
Ano: 2015
Número de páginas: 328
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21cm
Peso: 0,420kg
 

Comentário: O escritor Alan Dean Foster é o cara. O protótipo do especialista em novelizações. Dono de um estilo camaleônico, molda o ritmo de sua prosa de acordo com o tema. De modo inteligente, sem pressa nenhuma, apresenta todos os personagens (inclusive a nave Nostromo), entretece uma rede instável de relações humanas e preenche todas as lacunas deixadas pelo já excelente roteiro, tão trabalhado e retrabalhado por várias mãos. Falando em trabalho, imagino como deve ser desafiador para quem pega um roteiro com a missão de transformá-lo em livro. Muitas vezes, isso é realizado antes mesmo de o filme ser lançado e, portanto, de o escritor assistir às cenas. Mas Alan Dean Foster não é o tipo de cara que se assusta fácil, caso contrário não teria um currículo tão vasto e significativo. Com densidade, cria um clima de suspense crescente, deixando a ação para os capítulos finais. Para quem é versado no universo Alien, o livro traz uma emblemática cena deletada do filme (se eu contar a cena aqui, será spoiler). As discussões existenciais envolvendo os motivos para trazer a criatura a bordo também são exploradas de modo mais profundo e completo do que no filme, como seria de se esperar. O principal é que o livro tem personalidade própria e se sustenta, é uma leitura digna de ser feita, não apenas por "fãs" da franquia. Quanto à tradução, eu teria muita coisa a contar sobre a terminologia, as decisões tradutórias, a busca dos verbos e dos termos mais precisos para cada situação, mas são detalhes que espero que o leitor nem perceba. De uma coisa, porém, não abro mão: a obsessão em ser fiel ao estilo do autor. Ou seja, se o autor utiliza palavras incomuns na língua fonte, eu, como tradutor, me esmero em utilizar palavras também incomuns na língua alvo. Afinal de contas, é para isso que existem os amansa-burros!  ;)

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

BIOLOGIA DE CAMPBELL 10ª EDIÇÃO

PREPARAÇÃO DE ORIGINAIS

Biologia de Campbell - 10ª Edição

Autor: Jane B. Reece; Lisa A. Urry; Michael L. Cain; Steven A. Wassermann; Peter V. Minorsky; Robert B. Jackson

Editora: Artmed
  • Formato: 21X28
  • Peso: 3,25 kg
  • Páginas: 1488
  • ISBN: 9788582712160
  • Ano: 2015
97885827121601488
Livro Impresso
R$ 340,00
 
Traduzido em diversas línguas e utilizado por milhões de estudantes, Biologia de Campbell tem sido a principal referência acadêmica das ciências biológicas há mais de 25 anos. O sucesso desta obra se deve tanto à visão científica e pedagógica de Neil Campbell quanto às inúmeras contribuições da comunidade acadêmica internacional, que ajudou a moldar e aperfeiçoar um livro clássico para os padrões de ensino atuais.
 
 
Comentário: Tendo preparado a edição anterior do Campbell publicada pelo Grupo A (a 8ª edição, vide foto abaixo e comentário no arquivo deste blog, ano 2011), foi um prazer inenarrável retomar o material, agora com necessárias e oportunas atualizações. Com 56 capítulos e 6 apêndices, 1.488 páginas e 3,25 kg, sem dúvida, o Biologia de Campbell e Reece é uma das obras mais abrangentes sobre biologia. Para se ter uma ideia, o sumário detalhado da obra tem 16 páginas, vide pdf http://www.grupoa.com.br/uploads/imagensExtra/legado/R/REECE_Jane_B/Biologia_Campbell_10ed/Lib/sum_det.pdf.
Ao mesmo tempo, mantém um nível de detalhe que garante o interesse dos iniciados. Com fotos e ilustrações de qualidade inestimável, o Campbell continua sendo uma obra indispensável para quem ama a matéria.  

sexta-feira, 26 de junho de 2015

E O QUE VEM DEPOIS?

TRADUÇÃO


Novo Século lança o livro "E o que vem depois?", um thriller capaz de levar o submundo da internet a um nível de morbidez impressionante

 Consagrado internacionalmente, "E o que vem depois?" é sombrio e perturbador, trazendo à tona um tema ousado: o mundo dos sites snuff. Este é o enredo do bestseller “E o que vem depois?”, do autor John Katzenbach, um trhiller psicológico denso e perturbador, com classificação etária de 16 anos.


A trama, editada pela Novo Século Editora, transita entre o universo apelativo dos reality shows, e o horror provocado pela tortura de inocentes para satisfazer a obsessão por um prazer sem limites. Com uma narrativa surpreendente, o autor nos leva a conhecer até que ponto a mente humana é capaz de extrapolar os limites do que é aceitável, e arquitetar os mais terríveis atos de brutalidade contra uma vítima indefesa apenas por dinheiro e diversão.
 
É assim, enveredando por um submundo obscuro, que o livro “E o que vem depois?” nos mostra a face mais assustadora do sadismo, revelando que indivíduos incapazes de sentir empatia ou compaixão pelo destino do outro estão mais próximos de nós do que podemos imaginar. Em um canal na internet, anônimos se deleitam com o sofrimento infringido a uma jovem de 16 anos. Ali, sozinha, a prisioneira fica a mercê dos internautas que decidirão sua sorte.
A vítima é Jennifer Riggins, uma garota raptada em plena luz do dia, pelo casal que idealizou o site “E o que vem depois?”. O sequestro é testemunhado pelo professor universitário aposentado Adrian Thomas. Adrian acaba de descobrir que tem uma doença degenerativa em estágio terminal. Atônito, procura a polícia para relatar o caso, porém é totalmente ignorado. Sem poder esperar mais, resolve agir por conta própria, lutando contra o relógio, já que ele não viverá por muito tempo.
Agora, a única esperança para essa jovem, que apenas começou a viver, reside nesse homem cuja vida se aproxima do fim.
 
Sobre o autor
John Katzenbach nasceu em 1950, nos Estados Unidos e foi repórter do jornal Miami Herald. Escritor de destaque, deixou o jornalismo para dedicar-se aos thrillers psicológicos, escrevendo seu primeiro bestseller, No Calor do Verão, em 1982. Possui três romances adaptados para o cinema, incluindo A guerra de Hart, com Bruce Willis, e Justa Causa, estrelado por Sean Connery. Também do autor, a Novo Século já publicou O analista e O homem errado.

Dados Cadastrais
EDITORA: NOVO SÉCULOTítulo Nacional: E o que vem depois?
Título Original: What Comes Next?
Autor: John Katzenbach
Tradutor: Henrique Guerra
Categoria Ficção/Suspense: Literatura estrangeira
Páginas: 448
Edição: 1ª edição
Preço: R$ 39,90

(press release retirado do site da Maxpress)
 
 
Comentário do Tradutor: Cada tradução é um desafio, e com a obra de Katzenbach não foi diferente. Dono de um estilo denso, psicológico, obriga o tradutor a mergulhar em terminologias e ao mesmo tempo manter a tensão pulsando em cada parágrafo, cada página. O autor prima pela pesquisa de crimes reais da antiguidade e dos crimes mais hediondos que podem estar acontecendo no mundo atual; mistura tudo isso com um conhecimento absurdo da psique humana e dos recônditos sombrios de nossa mente, põe tudo isso no liquidificador e temos um best-seller do tipo que os americanos chamam de 'page-turner', ou seja, o tipo de livro que o sujeito não consegue largar até chegar ao fim. Este livro reflete coisas barra-pesada que acontecem na internet (vide o filme resenhado por mim em http://olharcinefilo.blogspot.com.br/2011/07/horror-grafico-sexual.html) e amplifica a ideia ao máximo, desenvolvendo os personagens sem pressa, inclusive os considerados "vilões". Se você tem estômago para sentir um frio na barriga e se colocar na pele de alguém à mercê de sequestradores inescrupulosos, vai curtir esse thriller bastante. Na parte da tradução em si, foi um esforço grande, e contei com a ajuda providencial do preparador, que fez observações importantes. Durante a tradução, troquei e-mails com o autor, que também me agradeceu por algumas observações que fiz sobre a idade dos personagens e uma citação de Macbeth. Em português de Portugal, What Comes next? foi publicado com o título "O professor", a profissão do personagem principal, que investiga por conta própria o rapto de uma jovem das vizinhanças.

domingo, 29 de março de 2015

ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL

TRADUÇÃO

Administração Educacional

Teoria, Pesquisa e Prática

9ª Edição

Autor: Wayne K. Hoy; Cecil G. Miskel; C. John Tarter

Tradução:
Henrique de Oliveira Guerra

Revisão técnica:
Márcia Rosiello Zenker, Psicóloga. Especialista em Psicologia Educacional pelo Instituto Sedes Sapientiae. Especialista em Gestão de Conflitos pelo Instituto Familia. Sócia da Zenker Tecnologia da Evolução. Consultora associada da Humus. Consultoria em Educação.

Editora: McGraw-Hill
  • Formato: 17,5X25
  • Peso: 1,08 kg
  • Páginas: 536
  • ISBN: 9788580554946
  • Ano: 2015
Uma das obras mais lidas na área da liderança educacional, este livro apresenta, por meio de uma abordagem pragmática, teorias e pesquisas atuais que analisam o ensino, a aprendizagem e a liderança para a administração eficaz das instituições de ensino. Este livro auxilia gestores e futuros gestores a compreender os conteúdos e os contextos escolares a partir de uma perspectiva de sistemas, sintetizando conhecimentos relevantes para a solução de problemas práticos.

Capítulo 1. A Escola como Sistema Social

Capítulo 2. O Cerne Técnico: Aprendizagem e Ensino

Capítulo 3. Estrutura nas Escolas

Capítulo 4. Indivíduos nas Escolas

Capítulo 5. Cultura Organizacional das Escolas

Capítulo 6. Clima Organizacional das Escolas

Capítulo 7. Poder e Política nas Escolas

Capítulo 8. Ambientes Externos e Responsabilização das Escolas

Capítulo 9. Eficiência Escolar

Capítulo 10. Tomada de Decisão nas Escolas

Capítulo 11. Tomada de Decisão Compartilhada: Empoderamento dos Professores

Capítulo 12. Comunicação nas Escolas

Capítulo 13. Liderança nas Escolas

Capítulo 14. Recapitulando: Análise da Escola como Sistema Social

Coletânea de casos sobre liderança educacional
Referências
Índice onomástico
Índice


Comentário: Santas aulas de Terminologia da Prof. Maria José Bocorny Finatto! É a realização de um sonho ter uma tradução técnica publicada. Já tinha feito outras traduções em que a terminologia era primordial (vide Nós somos Anonymous e A arte da inteligência), mas eram textos mais jornalísticos. Este livro do Hoy é realmente uma estreia como tradutor de livros técnicos, da área de Humanas do Grupo A. Trabalho enriquecedor em múltiplos aspectos, e um produto superdidático e condensado que sem dúvida terá muita utilidade no meio educacional.
 

POIROT: QUATRO CASOS CLÁSSICOS

TRADUÇÃO

 

POIROT: QUATRO CASOS CLÁSSICOS


POIROT: FOUR CLASSIC CASES
Agatha Christie
Tradução de Henrique Guerra (Tragédia em três atos); Petrucia Finkler (Cipreste triste); Rodrigo Breunig (Morte na praia e A Mansão Hollow)

Título: POIROT: QUATRO CASOS CLÁSSICOS
Título Original: POIROT: FOUR CLASSIC CASES
Catálogo: Outros Formatos
Gênero: Ficção estrangeira/Policial
Série: Agatha Christie
Cód.Barras: 9788525431790
ISBN-13: 978-85-254-3179-0
Formato: 16x23
Páginas: 744
1° Edição: novembro de 2014
 
Os anos 30 e 40 foram tempos perigosos e violentos. Às vésperas, durante ou logo depois da Segunda Guerra Mundial, aonde quer que fosse, Hercule Poirot – o célebre detetive belga – era levado a investigar os mais traiçoeiros casos de assassinato... para a delícia dos leitores de Agatha Christie. 
Este volume reúne quatro dos mais instigantes e famosos casos de Poirot, emblemáticos da era dourada das histórias de detetive durante a qual Christie se consolidou como a maior autora de romances policiais de todos os tempos. 
Agatha Christie (1890-1976) recebeu o título de Rainha do Crime graças às suas histórias policiais e livros de suspense altamente imaginativos, escritos entre as décadas de 20 e 70. Autora de dezenas de romances, contos e peças de teatro, criou mistérios protagonizados por personagens variados, como a simpática Miss Marple e, sobretudo, por Hercule Poirot. Excêntrico, vaidoso e de uma perspicácia sem igual, o detetive particular conquistou legiões de leitores no mundo inteiro, ganhou status de lenda e se tornou o personagem mais presente na obra de Christie, figurando em 33 romances e 54 contos, incluindo alguns dos títulos de maior destaque da bibliografia da autora. Levado a desvendar crimes nos quatro cantos do mundo, com seus métodos incomuns e muitas vezes surpreendentes, ele sempre supera seus colegas da polícia local. Esta coleção reúne em volumes temáticos os romances do incontornável pequeno grande belga. 
Tragédia em três atos (1935) Um jantar entre amigos é perturbado pela morte súbita de um dos convivas, aparentemente de causas naturais. Mas tudo toma um novo rumo quando uma segunda morte acontece.

Cipreste triste (1940) Uma velha senhora falece após uma longa doença sem deixar testamento, e segredos de família levarão Poirot a seu primeiro romance de tribunal.

Morte na praia (1941) Uma bela e provocante mulher é estrangulada nas areias de uma pequena praia. Poirot, de férias, perscruta todos os hóspedes do luxuoso hotel e descobre que vários teriam razões para ser o assassino.

A Mansão Hollow (1946) Um reputado médico é baleado em plena luz do dia na propriedade de amigos onde fora passar o final de semana. Todas as evidências apontam para sua simplória mulher, mas nem sempre as coisas são como parecem. 
 Comentário: Cada uma das onze traduções que fiz da obra de Agatha Christie me proporcionou momentos inesquecíveis de pesquisa e deleite imaginativo. Este trabalho em particular exigiu tomadas de decisão relativamente ousadas, como a que envolvia adaptar um nome próprio ou ser obrigado a perder o trocadilho do original. E outro desafio tinha a ver com o simples fato de que a tradução anterior era assinada por ninguém menos que a consagrada Barbara Heliodora. Procurei apresentar uma tradução moderna, que acrescentasse em relação à "canônica" e injetasse sangue novo na sempre oxigenada obra de Agatha. Cada decisão tradutória de Tragédia em três atos da L&PM foi tomada levando em conta um conjunto de teorias e técnicas, que aprendi com mestres da tradução literária como Beatriz Viégas-Faria e Elvio Funck, mas também outro ingrediente essencial da arte tradutória: a imaginação.
 

terça-feira, 10 de março de 2015

Uma noite no museu - o segredo da tumba

TRADUÇÃO

“Uma Noite no Museu: O Segredo da Tumba” chega às livrarias brasileiras

Romance inspirado no blockbuster da 20th Century Fox, livro inédito é lançado no Brasil pela Novo Século editora

Neste mês, a editora Novo Século lança o livro que conta a nova aventura do guarda-noturno Larry Daley, zelador dos habitantes mágicos do Museu de História Natural de Nova York.
Em “Uma Noite no Museu: O Segredo da Tumba”, do escritor Michael Anthony Steele, Larry está prestes a enfrentar o maior desafio de todos os tempos quando, na companhia de seus amigos, descobre que a fonte misteriosa que os traz à vida todas as noites está desaparecendo rapidamente.
O livro narra a busca de Larry por respostas que, desta vez, leva-o para o Museu Britânico, em
Londres, onde irá começar um verdadeiro caos da magia. Será que ele vai ser capaz de salvar seus amigos a tempo ou eles estarão fadados a desaparecer para sempre?
A obra baseada no filme produzido pela 20th Century Fox promete encantar os leitores com mais uma nova e eletrizante aventura repleta de figuras históricas, heróis improváveis e surpresas emocionantes. “Uma noite no Museu: O Segredo da Tumba” chega às livrarias brasileiras com a tradução de Henrique Guerra.
Michael Anthony Steele é escritor e roteirista, autor de mais de uma centena de livros infantojuvenis
e scripts para TV e vídeo. Já trabalhou com personagens como Shrek, Os Pinguins de Madagascar,
Garfield e Barney, além das adaptações literárias da série “Uma Noite no Museu” e “Speed Racer”.

Informações sobre o livro:
•EDITORA: NOVO SÉCULO
ISBN: 9788542804638
•Nº de Páginas: 176
•Categoria: Ficção: literatura estrangeira
•Formato: 14x21
•Acabamento: Brochura
•Preço sugerido: R$29,90

Comentário: Trabalho diferente e desafiador, tanto pelo prazo quanto pela natureza. Durante a tradução, troquei e-mails com o autor Michael Anthony Steele que me ajudaram a tomar algumas decisões tradutórias. Também como preparação assisti aos dois filmes da franquia, disponíveis nas locadoras de minha querida cidade Carazinho. Desde o início, abracei e abordei este trabalho de modo diferente, por envolver mídia sobre a qual tenho um blog, o olhar cinéfilo. Depois de entregue a tradução, tive a oportunidade de levar a família ao cinema e assistir ao filme em Porto Alegre. O mais legal de ter participado deste projeto foi perceber que a adaptação de um roteiro para romance exige do autor boa imaginação para preencher as lacunas e criar situações que não constam no filme e, ao mesmo tempo, omitir coisas que estão no filme, mas no livro talvez não funcionassem. E também foi divertido comparar as minhas decisões tradutórias com as dos tradutores da dublagem.
O filme e o livro têm bons momentos cômicos e também suscitam certos embates filosóficos, principalmente sobre a relação pai e filho e sobre a finalidade de cada um (inclusive de peças de museu) neste pálido ponto azul. Eu já havia feito a tradução de outra novelização: A teia da aranha, adaptação de uma peça teatral de Agatha Christie levada a cabo por Charles Osborne. Uma noite no museu - o segredo da tumba é leve e descartável como A teia da aranha, mas desconfio que justamente por isso vai agradar o jovem (de corpo ou espírito) leitor que embarcar nesta aventura.

Links úteis: 

==> páginas iniciais do livro:
http://issuu.com/novoseculo/docs/uma_noite_no_museu

==> A teia da aranha no site da L&PM (o comentário do leitor Jorge de Lima é realmente algo!)
http://www.lpm-editores.com.br/site/default.asp?Template=../livros/layout_produto.asp&ID=806080

==> A teia da aranha neste blog:
http://oliveiraguerra.blogspot.com.br/2010/12/teia-da-aranha.html

==> blog olhar cinéfilo:
http://olharcinefilo.blogspot.com.br/